Confira os três primeiros passos para sair das dívidas!

post-dividas1) Descubra onde você está

É doloroso ver onde a gente está, com tantas dívidas e contas se acumulando. Mas quanto mais você negligenciá-los, pior  vai ficar. Não tem fórmula mágica, infelizmente. Para você conseguir sair, você tem que saber onde está.

Faça uma lista das suas dívidas, registrando a taxa de juros (que é quanto você paga pelo dinheiro que deve), o número total de prestações, o número de prestações atrasadas, o número de prestações a vencer, o valor da prestação e o saldo devedor. Essa lista será importante para você escolher o que resolver primeiro.

2) Descubra para onde você quer ir

 Ok, você quer se livrar das dívidas. Mas o que isso significa? Pense em como você quer se sentir a partir de agora. Delimite datas realistas, e anote suas decisões. Você pode escolher renegociar as dívidas e seguir com os parcelamentos. Ou pode decidir que quer pagar tudo de uma só vez e não mais ficar com contas no cartão de crédito. Ou decidir que quer eliminar as dívidas e ainda fazer sobrar um dinheiro para não mais comprar a crédito. Ou para investir. Você é quem sabe, apenas decida e estabeleça uma data limite.

3) Trace um plano

Com o objetivo definido no passo #2, volte à lista do passo #1 e organize as dívidas de acordo com a prioridade. Uma dica é colocar em prioridade máxima as dívidas com taxas de juros mais altas. Eu sei, nem sempre isso é possível. Nesse caso, vale uma conversa com o credor (a instituição ou pessoa para quem você está devendo) sobre o seu desejo de pagar, mas sua impossibilidade no momento. Com certeza você irá conseguir uma boa negociação com ele.

A partir da lista organizada por prioridades, chegou a hora de ir eliminando uma a uma até atingir seu objetivo. Vá aos poucos e comemore os sucessos! Foco e boa sorte!

Fonte: Leila Ghiorzi, coach financeira com formação complementar em investimentos e intermediação financeira. Autora do projeto É da Minha Conta.

Leia também

Novas regras para pagamento de boletos

Comunicamos que, a partir do dia 28 de maio de 2018, entram em vigor as alterações definidas pela Resolução nº 4.648 do Conselho Monetário Nacional, publicada em 28 de março de 2018, que dispõe sobre o recebimento de boleto de pagamento com a utilização de recursos em espécie.

Novas regras para operações em espécie acima de R$ 50.000,00

No dia 26 de dezembro de 2017, entram em vigor as alterações definidas pela Circular do Banco Central nº 3.839/2017 para registro de operações em espécie. Confira quais são elas.