Mas, afinal, o que é a taxa SELIC?

post-taxa-selic

A sigla SELIC significa Sistema Especial de Liquidação e Custódia e nada mais é do que a taxa básica de juros utilizada no Brasil. Ela é utilizada pelo governo federal (Banco Central) para controlar a emissão, compra e venda de títulos. Ou seja, é a média de juros que o governo brasileiro paga por empréstimos feitos junto aos bancos.

Para definir essa taxa, o Banco Central se reúne em um comitê oito vezes por ano, que é o Comitê de Política Monetária (Copom). Assim, eles analisam a situação econômica do Brasil e definem qual é o melhor índice. A Taxa Selic é importante para ajudar o país a controlar a inflação, por isso é de grande relevância.

Então, se a inflação está alta, o BC pode elevar os juros e com isso o custo do crédito acaba aumentando no Brasil. Ou seja, isso serve para o evitar o aumento descontrolado da inflação. É a partir dessa taxa que os bancos estipulam o valor de aplicações financeiras feitas pelo consumidor, além de servir como referência de juros para empréstimos e financiamentos.

Mas, não se iluda, porque geralmente os juros cobrados são maiores do que a Selic. Isso porque se leva em conta o custo da operação dos bancos, com agências, funcionários e impostos. Por essa razão que os juros dos cartões de créditos e do cheque especial são altíssimos.

Como ela afeta seu bolso?

A Taxa Selic pode lhe afetar de diferentes maneiras, e o grau de influência vai depender de sua condição financeira, gastos e renda mensais. Vamos supor que você está fazendo economias para comprar uma casa. Você já fez a simulação de empréstimo ou financiamento junto ao banco, no início do ano, e já está há nove meses poupando.

Embora sua atitude seja nobre, um aumento inesperado na Selic pode estragar todo o seu planejamento. E sabe por que? Porque com o aumento dos juros, o valor total do empréstimo sobe. Ou seja, tudo o que você economizou não será suficiente para pagar as prestações mensais da casa própria. Então, esse dinheiro que você pegaria emprestado já não vai mais circular na economia do país.

E tudo isso faz parte do ciclo dessa taxa, que é tão importante para a manutenção das nossas finanças.

* Leila Ghiorzi, coach financeira com formação complementar em investimentos e intermediação financeira. Autora do projeto É da Minha Conta.

Leia também

post-psicologia-de-consumo2
Como a psicologia de consumo pode ajudar no seu controle de gastos

As nossas decisões financeiras não são racionais. Os impulsos que levam à compra estão além do produto em si: envolvem nossos sentimentos e sensações. Fatores psicológicos, culturais, sociais e pessoais influenciam o comportamento de compra, uso e avaliação de produtos e serviços para satisfazer necessidades. Nos fatores psicológicos estão a motivação (o que te motiva […]

Novas regras para pagamento de boletos

Comunicamos que, a partir do dia 28 de maio de 2018, entram em vigor as alterações definidas pela Resolução nº 4.648 do Conselho Monetário Nacional, publicada em 28 de março de 2018, que dispõe sobre o recebimento de boleto de pagamento com a utilização de recursos em espécie.